segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Encontrei meu avô falecido!


Tenho andado totalmente afastado do blog, eu sei, não é o que nem mesmo eu queria/planejava, mas acontece que, infelizmente, a vida física nos cobra muito às vezes e acabamos por esquecer das coisas espirituais. Não tenho tentado projeções astrais faz alguns meses: estudo, trabalho, relacionamentos, preocupações do dia a dia me tiram o sono, imaginem as projeções rsrs.

 No entanto, nesse tempo, algumas experiencias naturais eu tive sim, embora minha consciencia não estivesse 100%. Acho importante falar sobre a da noite passada.

Meu avô (não biológico, marido de minha avó, mas com quem cresci e amo como de sangue) fez a passagem em 2014, tudo aconteceu rápido, alguns meses antes de falecer ele começou a notar falta de força nos músculos, e tudo foi se agravando assustadoramente, em poucos meses ele não conseguia segurar a cabeça levantada: foi diagnosticado com uma doença que acomete determinada região do cérebro que faz com que gradativamente os músculos parem de receber estímulos do cérebro, parem de responder aos comandos, algo assim, há um termo técnico para tudo isso, mas isso não nos interessa. O fato é que nos dois últimos meses de sua estada nesse plano as coisas ficaram piores, nas três ultimas semanas ele não tinha mais capacidade de se alimentar sozinho, nem andar, e mal conseguia forças para mexer a cabeça ou mesmo os olhos, nessas últimas trẽs semanas eu não mais estava morando com ele, pois havia terminado o ensino médio e havia me mudado para São Paulo, em partes fico mal quando penso nisso, é como se eu tivesse o dever de ter ficado ao lado dele até seu último momento, eu acompanhei-o várías vezes às consultas longas, demoradas e intermináveis daquelas tardes, morávamos no interior e era um real sacrifício ir até o médico, o mais próximo ficava a cerca de 100 km. Fico feliz ao lembrar que jamais o tratei de maneira grosseira, muito pelo contrário, ele que costumava ser grosseiro mas eu nunca revidei. Enfim, ele faleceu de falência múltimas dos órgãos, o que sinceramente me deixou feliz quando soube de sua partida, afinal sua doença não tinha cura e ele ficar preso a uma cama sem poder se mover não era vida, e tenho certeza que ele teve 80 bem vividos, eu mesmo não espero viver tanto rsrs, a vida terrena me cansa.

 Mas vamos à experiência de ontem. Consegui um bom nível de consciência em meio a um lugar abafado, aparentemente era como um galpão gigante, a energia no local era ruim e parecia que o local estava lotado de pessoas, mas não lembro de ter visto a face de ninguem, era como se fossem verdadeiros vultos que nao lembravam exatamente figuras humanas, poderiam ser confundidas com simples sombras facilmente, mas imagino que eram entidade sim, ele estava em pé, no meio delas, aproximei-me dele e o segurei pelos ombros e tentei olhar em seus olhos,notei que sua cor estava diferente, sua pele parecia sem vida (perdoe-me o trocadilho), sua pele tinha uma mistura entre a cor amarela, cinza ou algo do gênero, sua feição era desolante, parecia triste, amargurado, decepcionado e infeliz, parecia não ter forças para andar, ou mesmo conversar como costumava fazer naquelas tardes de inverno tomando chimarrão em companhia de vizinhos. Perguntei se estava bem e não lembro de sua resposta exatamente, lembro-me, no entanto, que ele pediu para que eu rezasse/orasse por ele, falou que não aguantava mais e que precisava de ajuda e pediu para rezar por ele, eu tentei rapidamente explicar-lhe que ele deveria reunir esperanças e não desanimar pois sempre há saída, não importa onde estejamos, falei-lhe que tudo dependia mais dele do que de mim, falei que ele deveria orar, rezar, pedir ajuda aos céus, e que eu não podia fazer muito, tudo aconteceu rápido, não tive oportunidade de dizer outras coisas a ele. Fico extremamente triste ao pensar que ele provavelmente está em algum local umbralino, passando por alguma espécie de expiação pós-vida talvez. Mas tenho certeza que um dia poderei abraçá-lo e conversarmos sobre coisas banais novamente, e em algum local de melhores energias, tenho certeza disso.





domingo, 22 de fevereiro de 2015

VOLTEI!

 Primeiramente, quero dizer que nunca desisti do blog ou algo assim, muito pelo contrário, de vez em quando eu sempre entrava para responder a comentários e coisas do tipo. O que acontece é que a vida muda, nossos conceitos se renovam, começamos a ver a vida de uma perspectiva nova e diferente daquela que costumávamos ter.
 Muito coisa tem mudado em minha vida. Mas não deixei a projeção astral de lado (talvez um pouco).
 Atualmente estou morando em São Paulo, não mais no Rio Grande do Sul. Minha rotina está a maior correria, mal tenho tempo para me alimentar corretamente ou assistir um filme durante a noite ou todas essas coisas fúteis que gostamos de fazer. Fica difícil chegar em casa meia noite e pensar em técnicas projetivas ou coisas do tipo, sim, a preguiça tem tomado conta de mim. Por um lado, não me importo muito em querer me projetar mais porque sei como é do lado de lá. Quando comecei esse blog eu era mais novo, tinha muito tempo livre, muito mesmo, podia me dedicar quase que integralmente a esse assunto, tanto que passava horas meditando, e testando formas de se projetar, e deu certo, lembro-me que quase toda noite eu tinha uma experiência ou outra (podem checar meus primeiros posts).
 Porém, prometo que vou tentar manter esse blog atualizado e também tentarei ter novas experiências. Aliás, semana passada, quando me veio na cabeça que deveria voltar a praticar projeção astral, na mesma noite tive um sonho lúcido. Sonhei que estava no centro da cidade, e que era de madrugada e que alguns amigos e conhecidos também estavam lá, acho que estavam bebendo, lembro me de ter pensado ''amanha tenho que acordar cedo para trabalhar, tenho que voltar para casa já são 3 da manhã'', logo após pensar isso meio que ganhei lucidez, notei que aquilo não era algo possível de estar acontecendo no físico, mas tudo durou muito pouco tempo pois em seguida acordei. Mas é interessante notar que só pelo fato de eu ter pensado em voltar a praticar projeção astral, já tive um sonho lúcido (o que não é comum ultimamente), é como se algo dentro de mim estivesse apenas adormecido.

 Até mais.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Desencarne.

  Ontem estive num velório grande parte do dia, permaneci lá até o fim (enterro). É sempre triste ver a tristeza em situações como essas, eu sempre fico sem saber como ajudar. Claro, sou conhecido da família, e o que eu dissesse não ia ser levada a sério pelos mesmos que tem um diferente credo religioso.
 Não sei se foi por isso, mas talvez tudo isso tenha ficado gravado em meio subconsciente e quando dormir, hoje à tarde, isso fez eu refletir (embora não estivesse em estado de vigília).
 Não foi uma projeção, mas também creio que não tenha sido um sonho normal, pois diferente de sonhos os fatos que vi tinham lógica e sequencia correta, tal qual aqui no físico, geralmente sonhos são sem sentido e não possuem uma lógica.
 Eu lembro de estar numa sala, tipo sala de aula, havia várias outras pessoas na mesma sala, havia alguém dando uma espécie de palestra, nesse ''sonho'' era como se eu estivesse desencarnado e estivesse no mundo espiritual, lembro me que parecia me que eu tinha desencarnado num acidente de caro ou algo assim, no ''sonho'' eu comecei a recordar de minha família que, supostamente, tinha ficado aqui no físico já que eu estava desencarnado, comecei a sentir quando saudade, era como se meu desencarne tivesse ocorrido a cerca de três meses e eu ainda estivesse sofrendo pela saudade de meus entes queridos, não era muito por mim, mas era eu me preocupava com eles, imaginava o que eles estariam fazendo, como estariam levando a vida, pensava em minha vida que três meses atrás estava tão ''normal'' e agora eu estava desencarnado no outro lado da vida (de acordo com o sonho). Lembro me que começaram a exibir alguma coisa numa tela, relacionado ao o que o ''palestrante'' estava falando, não lembro sobre o que era. No sonho, pensei muito em minha família, tanto que comecei a chorar, chorar de saudades, foi nesse instante que acordei de fato. Só então percebi que era um sonho e de que ainda estou encarnado, foi muito emocionante para mim, pois percebi de que por mais ''preparado'' que eu esteja para isso nunca estarei preparado o suficiente. Creio que essa experiência tenha sido uma forma de me mostrar que devo aproveitar o tempo em que estou aqui ao máximo, pois a qualquer horas podemos ter de ir embora, assim como meu conhecido de ontem que com pouco mais de 20 anos, com um futuro brilhante pela frente teve de deixar tudo para trás e voltar para casa.
 Espero ter explicado bem e que vocês tenham entendido o sonho que tive (que tenho certeza que não foi um simples sonho), às vezes tenho a sensação de que não sou bom com as palavras.








terça-feira, 5 de março de 2013

Uma experiência.

  Foi uma pena que logo após acordar eu não escrevi a experiência, pois acabei pegando no sono poucos minutos depois...

 ''Era de tarde e o clima agradável para dormir, deitei e logo peguei no sono, tive alguns sonhos, acordei e lembrei que nos sonhos eu estava voando, mas apenas lembrei vagamente, peguei no sono novamente e lá estava eu: Era uma casa grande e com muitas pessoas, parecia que estava havendo uma festa nessa casa, algumas pessoas até me cumprimentaram com se fôssemos velhos amigos, eram pessoas comuns, pelo menos assim aparentavam. Havia um familiar meu comigo nessa casa (embora não lembrasse de ter chagado com ela lá), tentei procura-la mas não encontrei, saí para fora da tal casa, a casa se situava num lugar longe de grande agitação, pois a paisagem era plana e com grama bem verde, nesse ponto eu ainda não havia adquirido consciência, foi quando uma espécie de cachorro começou a me perseguir, sim, fui perseguido por um cachorro, e automaticamente eu também comecei a correr, e acabei tirando os pés do chão, era tão divertida aquela sensação, eu estava numa certa velocidade que ao meu ver era alta. Imediatamente achei muito estranho aquilo já que não estou acostumado a sair voando por ai todo dia, me passou pela cabeça que eu estava projetado ou em alguma espécie de sonho. Não tive dúvidas a partir dai. Tentando aproveitar ao máximo eu aumentei a velocidade da corrida (estava ainda voando mas bem próximo ao chão), girava em torno de mim mesmo...  A sensação era realmente ótima, inexplicável. Cheguei num lugar que não lembro exatamente o  que era, só lembro de começar a escalar algo, e parecia difícil. Foi aí que minha mente se voltou para  o fato de que eu estava em projeção e lembrei de meu corpo no físico, comecei a perder a lucidez e minha visão ficou algo embaçada, o quanto eu mais lembrava que estava projetado mais eu sentia perder a lucidez. Ainda tentei reagir e dizer para mim mesmo que não deveria pensar em nada mas apenas aproveitar o momento e tentar ficar lucido o maior tempo possível, o que não aconteceu pois acabei perdendo toda a lucides e acordei. Quando acordei ainda pensei em descrever tudo do que tinha visto, mas peguei no sono, ainda tive outros sonhos, mas foram apenas simples sonhos, dos quais mal lembro agora. Mais tarde, quando acordei, lembrei me imediatamente do que havia ocorrida algumas horas atrás, mas sinto que muitos detalhes eu acabei esquecendo, muitos mesmos, o que é realmente uma pena. ''
 Fazia tempo que eu não tinha experiência como essa. Tudo aconteceu naturalmente sem que eu desejasse ou mesmo pensasse sobre PA, pois fui dormir sem nenhuma intenção.

 Foi realmente uma pena eu não ter lembrado com mais detalhes, mas de qualquer forma valeu a pena.













quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Chance perdida...

 Faz algum tempo que não posto aqui...

 Durante a tarde de hoje estive dormindo. Lembro me de que sonhei que havia passado a tarde na escola, e que eu estava voltando para casa no final da tarde, na volta para casa ví muitos parentes no caminho, (o que achei estranho já que todos meus parentes moram longe e aquilo não fazia sentido), tudo ficou mais estranho ainda quando eu estava caminhando ao lado de um desses parentes e quando olhei ao longe eu avistei esse mesmo parente, ou seja, ví uma espécie de clone desse meu familiar, tudo ficou mais claro e de uma certa forma confusa, lembro me que eu pensei ''isso não pode ser real, não faz sentido'' então eu dei um salto na esperança de tentar voar/volitar, pois se voasse eu teria certeza que não estava em ambiente físico. Acabei por voltar ao chão, assim como ocorre no fisico quando pulamos, nada de diferente ocorreu, então eu desisti da ideia de que aquilo era ambiente não físico... Algum tempo depois acordei e só então percebi meu erro.
 Ainda estou muito preso à conceitos físicos. Claro, que no astral podemos voar em todo o sentido da palavra, mas isso não é regra geral, essa capacidade depende muito das condições em que nos encontramos. Eu devia saber que essa formula de dar um pulo não é algo 100% seguro, pois muitas vezes (como essa) nós pulamos e nada de extraordinário acontece... Da proxima vez nao me deterei apenas nessa ideia.

 Creio que aquele ambiente todo era plasmando/criado por minha mente ou algo do tipo. Claro, talves poderia ter ''evoluído'' até chegar numa projeção astral de fato, já que muitos projetores tem projeções a partir de sonhos, depois de já estarem adormecidos.

sábado, 11 de agosto de 2012

Sonhos Lúcidos.

 Esta tarde fui dormir, e antes de dormir pensei sobre projeções, já que faz um bom tempo que não tenho nenhuma experiencia do tipo, acho que foi bom pensar nisso. Pois algum tempo depois eu me vi numa espécie de cidade, estava acompanhado de pessoas e fazendo algumas coisas das quais não lembro agora, porém não eram coisas rotineiras, e acho que por isso que percebi que aquilo não era realidade. Lembro me que parece que alguem ainda tentou me convencer de que eu estava acordado, porém também me lembro que eu agarrei uma menina que estava demeu lado de aproximadamente uns 15 anos e tentei voar segurando ela, acho que ela era quem tava tentando me convencer de que eu estava acordado e acho que tentei fazer aquilo pra provar a ela mesma que aquilo não era real.  Acabamos flutuanto alguns metros do chão... Nesse momento eu estava bastante ciente do que estava acontecendo, pena foi que acabei perdendo a lucides... Depois, mais uma vez ganhei lucides, dessa vez, estava em em outra espécie de sonho, parecia história de desenho animado, pelo que me parece tinha uma espécie de bruxa tentando fazer algo, e eu quebrei algo como um colar o que fez com que começasse uma enorme ventania, algo similar a um furação, que destruiu tudo, cansado de toda aquela bobisse, pensei em sair dali, me concentrei e comecei a sentir um forte E.V., eu podia sentir meu corpo tremer, e na hora me senti em meu corpo fisico novamente, ainda tentei forçar mais o E.V. mas acabei desistindo, estava me sentindo bastante pesado e sem energia.
 Me lembro de ter visto o meu quarto, o engraçado é que eu não lembro de ter abrido os olhos em nehum momento.
 Depois de abordar a experiencia, voltei a dormir, e nada mais tive. Sei que devia ter ido em frente com o E.V, mas não estava me sentindo preparado, não sei explicar.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

No umbral (?)

 Olá a todos, primeiramente queria me desculpar por ficar tanto tempo sem atualizar o blog, mas o fato é que minha rotina e vida anda bastante corrida. Durante esse tempo, tive algumas experiencias, porém nada muito significativo, por exemplo, alguns dias atrás tive diversos sonhos, nos quais eu por muito pouco não ganhava lucidez.
 Nesta noite (05-07-12), tive uma outra experiencia, estava eu dormindo, de repente ganhei lucidez, minha visão era embassada e não conseguia ver com exatidão, mas me parece que eu estava no ar, como que caindo, como uma folha seca cai de uma árvore, o ambiente ao meu redor era escuro, nao consegui avistar nenhum tipo de luz (talves por isso minha visão estava tão prejudicada), eu estava sem nenhum controle sobre mim mesmo, estava meio que rodopiando no ar e caindo, porém, lembro me que estava consciente de tudo o que estava acontecendo, percebi que eu devia estar no astral, não senti medo nem nada, após alguns segundos, tentei me concentrar pra ver se eu conseguiria tomar controle sobre meu corpo astral, e até que deu algum resultado, lembro me que consegui me virar de lado e sair voando, logo abaixo de mim eu ''senti'' que estava uma espécie de chçao escuro e lodoso... Após isso, não lembro mais de nada.
 Ainda tive outro sonho bobo, mas que nem vale a pena publicar aqui.

 Que lugar erra aquele? Certamente era o umbral, pois era um lugar escuro e com clima totalmente pesado. Achei estranho o fato de eu não me assustar, como se eu estivesse acostumado a ir lá...

 Faz dias que não tento induzir PAs, nos próximos dias tentarei mais experiencias.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Experiência numa fazenda(?)

 Na tarde de hoje (23-05-12) tive uma incrível experiencia. Relatada a seguir.

 Não lembro exatamente, mas comecei a ficar lucido perto de alguem, parecia ser outro projetor, mas em seguida ele tomou a aparencia de um amigo meu do fisico, mas certamente não era meu amigo pois de tarde meu amigo nunca tem tempo para dormir. Creio que minha mente deve ter associado esse espírito/projetor a alguma pessoa próxima de mim como que querendo ''explicar'' o que se passava.
 Estávamos na frente de um chiqueiro de porcos, o chiqueiro era bem proximo de uma pequeno lago, havia uma expécie de placa, pregada no chiqueiro, meu ''amigo'' projetor  parecia que sabia o que estava fazendo pois ele estava tentando identificar onde nós estávamos, havia um número de telefone escrito na placa, era um número comercial, típico de empresas que lidam com produtos destinados ao campo, o códígo de área do número era 47, se não me engano esse código é de algumas regiões de Santa Catarina, e os três primeiros numeros eram 542, havia mais números mas eu acabei esquecendo, lembro me que esse outro que estava de meu lado e que tambem me pareceu projetor, disse me para memorizar o número e quando acordássemos nós poderíamos ligar para o tal número e confirmar que, de uma forma ou de outra, aquilo tudo era real, ele também tentou decorar o número, foi uma pena que acabei esquecendo parte do número quando acordei. Meu amigo parecia desavisado, pois ele plasmou, creio que de forma instintiva, uma caneta, e escreveu o número na palma da mão, ainda pensei em lhe dizer de que aquilo não adiantaria de nada, pois não estávamos nos manifestando com nossos corpos físicos lá, mas sim como corpos astrais, mas no fim desisti de lhe falar isso, percebi que seria inutil... Logo após isso, olhamos a paisagem ao redor, e não avistamos cidades, apenas parecia uma grande fazenda, ao longe vimos gado no pasto. Me lembro que enquanto estava andando olhei para o horizonte, e ainda pensei ''Nossa, como é bom estar totalmente lúcido aqui'', mas primeiro eu queria ter certeza se aquele lugar era no físico ou no astral, porém também me veio a vontade de fazer mil coisas, e acabei esquecendo de tentar descubrir se o lugar que víamos era alguma fazenda ou algo assim aqui no físico, ou se era algum lugar no astral. Estávamos passando por debaixo de grandes arvores, que me pareceram ser pitangueiras, ate me lembrei de arvores semelhantes que conheço, dei um salto alto, com bastante impulso e esperei chegar ao chao, pois eu estava caindo bem devagar, similar a quando soltamos um balão e o vemos cair como que em camera lenta, percebi que poderia voar se quisesse, porem tentei me agarrar nos galhos da árvore, e de fato consegui, e assim fiquei, pulando de galho em galho e dando rodopios no ar, tudo muito divertido. Creio que se eu fui capaz de me agarrar aos galhos, aquele lugar devia ser no astral ou então eu mesmo que plasmei tais galhos automaticamente. Enquanto pulava de galho em galho, começou a me dar medo, pois estava num lugar bem alto, mas lembrei que eu estava no astral e de que não poderia me machucar, então o medo passou, meu amigo projetor que se encontrava no chão, admirando a paisagem e olhando minha brincadeira, ate falou algo como ''isso é muito perigoso, voce está muito alto'', ai eu lhe disse de que estávamos no astral e de que não iríamos no machucar, e o convidei para a brincadeira, falei como era divertido, mas ele me pareceu temer se machucar, ele estava muito admirado com tudo, mais admirado que eu. Eu até pensei em me soltar de onde estava e fingir uma queda até o chão, só para lhe mostrar que se caíssemos iríamos ficar bem, mas desisti de tal idéia, pois eu poderia acabar assustando ele, que já me parecia estar num misto de surpresa e medo com toda a situação, bem, só sei que ele perdeu ótima oportunidade, as vezes o astral é muito divertido mesmo, podemos fazer coisas que nem imaginamos aqui no físico. Depois de um tempo, ainda pedi à meu amigo o que ele gostaria de fazer, falei que poderíamos voar alto, talves ir até as núvens, falei que poderíamos ir para outro país, falei que poderíamos ir para outro planeta, e fazer muitas outras coisas... Mas foi aí que comecei a ficar com uma certa vertigem e comecei a perder a lucidez, vi que seria impossivel me manter lá, então deixei o processo todo acontecer. Apenas lembrei do numero para tentar levar a lembrança comigo.
 Em instantes, senti um E.V. rápido e me senti novamente ao corpo, acordado, mas ainda de olhos fechados e sentido um fraco E.V. tentei uma saída, não consegui, ai fiquei com medo de dormir e perder a memória da experiencia, então achei melhor acordar de fato.

 Estive mais lúcido nessa experiencia do que na anterior, o interessante é de que foi uma experiencia espontânea, aconteceu naturalmente. Alias, minhas ultimas experiencia tem acontecido de forma totalmente expontanea, sem que eu tente qualquer prática. Ano passado eu tinha experiencias, mas não eram tão lúcidas como as de agora, eram até confusas e todas eram causadas por mim, logo após quando eu tentava certas tecnicas.
 O tempo em que tudo isso aconteceu foi mais ou menos 30 minutos, pois por volta das 14:05 eu tinha sido acordado, e quando voltei da experiencia era 14:37

 Fiquei pensando em quem poderia ser meu amigo projetor, aquele que me acompanhou na experiencia, ele parecia ser encarnado, e me pareceu que ele já conhecia a Projeção Astral, porém como estava bastante admirado, mas que eu, me passou a impressão de que essa foi uma de suas primeiras experiencias. Agora, penso que eu deveria ter falado com ele, pedir onde ele mora, de onde é, o nome...mas no astral parece que tudo acontece tão rápido, sme falar que durante a experiencia eu tinha medo de que a qualquer momento eu acabasse acordando.
 Mas apesar de tudo, foi muito divertido!